Como colocar corrente para neve no pneu?

Vai conduzir na neve e procura fazê-lo em segurança? Saiba como colocar a corrente para neve no pneu do seu carro.

PUBLICADO A 30 NOVEMBRO 2023

Quando chove muito ou neva, o automóvel pode não estar preparado para circular com segurança. Nestes casos, as correntes para neve aumentam a aderência ao piso e podem evitar derrapagens e acidentes. Mas são todas iguais? E como devem ser instaladas? Saiba como se precaver na estrada quando o inverno não dá tréguas. 

O que são correntes para neve? 

As correntes para neve são acessórios colocados nos pneus do carro     para melhorar a tração em condições de neve e gelo na estrada. São montadas à volta dos pneus para ajudar a evitar a derrapagem nos pisos cobertos de gelo ou neve, quando os pneus comuns não conseguem fornecer a aderência adequada. Por isso, são especialmente úteis em regiões onde o clima rigoroso de inverno cria condições perigosas de condução. 

Para que servem as correntes para neve? 

As correntes para neve ajudam o condutor a controlar o veículo nos pisos escorregadios, sobretudo durante o inverno, quando a neve e o gelo se acumulam na estrada. Proporcionam aderência adicional aos pneus, evitando a derrapagem. Em consequência, também ajudam a reduzir o risco de acidentes nas estradas, mantendo o condutor, os passageiros e os outros utilizadores da via pública seguros quando as condições climatéricas pioram. Além disso, existem algumas áreas do país onde o inverno é mais rigoroso, e as correntes para neve permitem que os veículos continuem a circular, mesmo em condições adversas. 

Que tipos de corrente de neve existem? 

Existem vários tipos de correntes para neve, cada uma pensada para diferentes necessidades e tipos de veículos. Estes são os principais.

1. Correntes para neve de metal, as mais tradicionais 

As correntes para neve de metal são as mais conhecidas e tradicionais. Como a própria designação indica, são feitas de elos de metal que envolvem os pneus do veículo, e são particularmente resistentes. Os elos proporcionam maior aderência quando o carro entra em contacto direto com a superfície da neve ou do gelo. São montadas nas duas rodas motrizes, ou em todas quando o veículo tem tração às 4 rodas. 

A velocidade máxima permitida com estas correntes de neve é de 50 km/h. Além disso, podem não ser adequadas quando há pouco espaço entre o pneu e a roda. Nestes casos, não será possível usar correntes de metal. Existem ainda correntes de metal com tensão manual e automática. O primeiro tipo requer mais esforço e habilidade na montagem, motivo pelo qual são mais económicas, ao passo que o segundo não requer mais do que um minuto de instalação e a tensão é automaticamente ajustada quando o carro arranca. 

2. Corrente para neve têxtil, para situações pontuais 

Estas são uma alternativa inovadora às correntes de neve tradicionais feitas de metal. São de montagem rápida, uma vez que basta colocá-las como capas sobre os pneus. A água da estrada é absorvida pelo tecido impermeável, criando um efeito de fricção a seco que reforça a estabilidade e a tração. 

Contudo, este tipo de correntes para neve deve ser usado apenas pontualmente ou quando for preciso tração extra, como, por exemplo, quando é necessário sair de uma estrada coberta de neve ou gelo. Para viagens frequentes em regiões com invernos rigorosos, as correntes para neve de metal ou spider são mais adequadas. A velocidade máxima permitida também é de 50 km/h. 

3. Corrente para neve spider, para condições extremas  

As correntes para neve spider são feitas de correntes metálicas flexíveis dispostas de forma radial ao redor do pneu. O nome decorre do seu design, que se assemelha a uma teia de aranha quando colocadas sobre o pneu. São de instalação fácil e rápida e os seus rolamentos de articulação permitem que sejam usadas em vários tipos de veículos, desde SUVs até citadinos. 

Quais as limitações da corrente para neve? 

Apesar de serem eficazes em melhorar a tração dos veículos em condições de neve e gelo, as correntes para neve têm algumas limitações. 

1. Danos no veículo 

Se as correntes para neve não forem instaladas corretamente, podem danificar os pneus, as rodas ou outras partes do veículo. Além disso, não devem ser usadas ao conduzir em pisos secos, porque podem provocar desgaste prematuro dos pneus e da suspensão.

2. Limitações de velocidade 

O uso de correntes para neve impõe limites de velocidade mais baixos, uma vez que conduzir com maior velocidade pode ser perigoso e aumentar o risco de danificar o veículo. Em Portugal, o limite é de 50 km/h. 

3. Condução desconfortável  

Os carros equipados com correntes para neve podem proporcionar uma condução mais áspera e ruidosa, afetando o conforto dos passageiros dentro do veículo.

4. Experiência necessária para instalação 

Montar correntes para neve pode ser um desafio, especialmente para condutores menos experientes. Se não forem instaladas corretamente, podem soltar-se durante a condução e criar situações de perigo na estrada. 

5. Inconveniência 

Montar e retirar correntes para neve pode levar tempo e causar transtorno, sobretudo se estiver a chover ou a nevar no momento. Por isso, conte com algum atraso na viagem enquanto faz a instalação. 

Como instalar correntes para neve? 

Antes de começar, certifique-se que tem as correntes certas para os pneus do seu veículo. Consulte o manual para encontrar informações sobre o tamanho correto. É também recomendável praticar a instalação em casa, durante o dia, antes de enfrentar condições reais de neve. Estará mais familiarizado com o processo e poupará tempo quando precisar de as usar. 

1. Estacione num local seguro 

Em primeiro lugar, estacione o carro num local seguro e plano. Evite áreas inclinadas ou perto de curvas. 

2. Coloque as correntes para neve 

Coloque a primeira corrente no chão e passe-a por trás da roda com cuidado. Utilize as cores como guia para garantir que está posicionada corretamente. Segure as duas extremidades do primeiro aro e levante-o por trás da roda. Prenda-o na parte superior e volte a colocá-lo para trás. Repita o procedimento para o aro da frente, mas, em vez o mandar para trás, assegure-se de que está o mais centrado possível. De seguida, passe a corrente pelo tensor e puxe-a o máximo que conseguir. Como medida de segurança, conduza alguns metros para ter a certeza de que as correntes estão bem fixas e seguras.

3. Bloqueie o tensor  

Caso as correntes tenham tensor, bloqueie-o. Se não tiverem, acompanhe a tensão durante a viagem e verifique regularmente se continuam bem montadas. 

4. Conduza com cuidado 

Depois de instalar as correntes, conduza com especial cuidado, abaixo da velocidade máxima de 50 km/h. Evite acelerações e travagens bruscas que possam comprometer a aderência das correntes. Além disso, evite também as partes da estrada mais secas, uma vez que as correntes funcionam melhor com neve ou gelo. 

5. Remova as correntes para neve assim que deixarem de ser necessárias 

Quando as condições da estrada já não o justificarem, remova imediatamente as correntes para neve. Caso contrário, a condução vai danificar os pneus e as próprias correntes. Depois de as remover, limpe-as, deixe secar e guarde-as num local seco. Substitua qualquer corrente que esteja danificada antes de a usar novamente.

Génesis, para viagens seguras em todas as estações do ano 

Ter consigo correntes para neve é um hábito sensato para garantir a segurança na estrada durante condições climáticas adversas. Assim como as correntes para neve são fundamentais para enfrentar a neve e o gelo, um seguro automóvel abrangente é essencial para proteger os condutores contra as incertezas da estrada. Escolha o seguro automóvel que o protege em caso de acidentes ou imprevistos e simule as coberturas mais adequadas para as suas necessidades. Com a Génesis, poderá usufruir de viagens seguras e protegidas em qualquer estação do ano. 

Informação atualizada em: 30 de novembro de 2023

Fontes: 

https://www.michelin.pt/auto/conselhos/guia-pneus-inverno/correntes-de-neve

https://controlauto.pt/seguranca-rodoviaria/educacao-rodoviaria/correntes-de-neve

PUB. Não dispensa a consulta da informação pré-contratual e contratual legalmente exigida.

O conteúdo desta página tem caráter meramente informativo, geral e abstrato. Não constitui parecer profissional, nem jurídico. Esta informação não dispensa a consulta da legislação em vigor, nem substitui o atendimento técnico qualificado prestado junto das entidades competentes.